Casa Grau

O projeto começa pelo respeito a geografia natural deste amplo lote de aproximadamente 4.000m² com vista para a mata nativa.

O desejo apresentado pelos clientes de ter uma casa ensolarada no campo conectada com essa paisagem conduziu as principais decisões do projeto.

Dois blocos justapostos organizam o programa social e íntimo, e se abrem para a vista privilegiada da mata.

O cuidado na seleção do mobiliário e dos materiais permite que a vista do horizonte e do paisagismo tenham protagonismo nos espaços de descanso.

O principal objetivo na proposta de implantação da residência era permitir que a vista para a paisagem fosse mantida da melhor maneira possível com o menor grau de intervenção no terreno. Foram realizados estudos volumétricos para evitar sombreamento dos vizinhos, além de diversas simulações para identificar qual a implantação privilegiaria a vista pretendida da melhor maneira. Modelos 3D e fotomontagens foram elaborados para a compreensão de como o olhar se relacionava com a vista e com o projeto paisagístico a partir da solução em dois níveis.

O lote está estabelecido a uma cota mais alta quando comparado ao nível da rua e à quadra logo à frente. A partir desta situação, percebe-se que a implantação na cota do platô do terreno permitiria uma vista permanente e livre a partir da área social, assim como menor movimentação de terra para a implantação da construção. As árvores existentes foram incorporadas ao projeto de paisagismo com o intuito de preservar as características pré-existentes do local e valorizar as espécies nativas.

O conjunto é resultado dos estudos realizados a partir das premissas bases do projeto, de criar ambientes conectados ao paisagismo e à paisagem natural. Com isso, a conformação escolhida é a de dois blocos justapostos que organizam o programa social e íntimo orientados pelo sol e vista da mata, resultando em uma inflexão dos eixos dos volumes. No encontro dos volumes, no térreo, criou-se a “praça” da casa, o espaço dedicado ao ambiente de lazer externo onde há espaço de preparo de alimentos e de permanência, com mobiliário de estar apropriados para meio externo. Sem fechamentos laterais e apenas com a cobertura criada pelo volume superior, este local permite máxima integração com a área externa.

A estrutura que suporta o bloco superior dos dormitórios e permite o generoso balanço está embutida dentro do volume revestido em madeira no fundo do lote. Divisão entre os ambientes da garagem e do gourmet, comtempla em seu interior um pequeno depósito e uma área de lavar roupas. A piscina, por sua vez, conforma o quarto e último volume da casa, sendo revestida em pedra natural. Tem em sua lateral a área para banho de sol em condição de insolação favorável, além de estar posicionada em comunicação com o jardim e com a área de lazer externa.

Foram traçadas estratégias com o objetivo de ocorrer o menor impacto possível a partir da construção no local. Atentou-se também a aplicações de sistemas e produtos instalados visando à economia de recursos.

A fachada do bloco superior é microclimática, formada por painéis deslizantes com uma membrana têxtil perfurada (Serge Ferrari) tensionada por perfis de alumínio. Esse sistema faz a proteção luminosa e térmica dos dormitórios garantindo conforto constante e significativa redução do gasto energético com climatização.

Ficha

Local: Itu – SP

Tipo de Construção: Residencial

Área Terreno: 3.878,82m²

Área Construída: 835,78m²

Início do Projeto: 2020

Construtora: Prado Construções

Interiores: Dias Estúdio

Estrutura: Gama Z Engenharia

Paisagismo: Juliana Freitas

Luminotécnico: Natilux

Intalações Hidráulicas e Elétricas: AF Projetos

Climatização: Logiproject

Perspectivas: Sertão Arquitetos

Compartilhar nas Redes

Casa Grau

O projeto começa pelo respeito a geografia natural deste amplo lote de aproximadamente 4.000m² com vista para a mata nativa.

O desejo apresentado pelos clientes de ter uma casa ensolarada no campo conectada com essa paisagem conduziu as principais decisões do projeto.

Dois blocos justapostos organizam o programa social e íntimo, e se abrem para a vista privilegiada da mata.

O cuidado na seleção do mobiliário e dos materiais permite que a vista do horizonte e do paisagismo tenham protagonismo nos espaços de descanso.

O principal objetivo na proposta de implantação da residência era permitir que a vista para a paisagem fosse mantida da melhor maneira possível com o menor grau de intervenção no terreno. Foram realizados estudos volumétricos para evitar sombreamento dos vizinhos, além de diversas simulações para identificar qual a implantação privilegiaria a vista pretendida da melhor maneira. Modelos 3D e fotomontagens foram elaborados para a compreensão de como o olhar se relacionava com a vista e com o projeto paisagístico a partir da solução em dois níveis.

O lote está estabelecido a uma cota mais alta quando comparado ao nível da rua e à quadra logo à frente. A partir desta situação, percebe-se que a implantação na cota do platô do terreno permitiria uma vista permanente e livre a partir da área social, assim como menor movimentação de terra para a implantação da construção. As árvores existentes foram incorporadas ao projeto de paisagismo com o intuito de preservar as características pré-existentes do local e valorizar as espécies nativas.

O conjunto é resultado dos estudos realizados a partir das premissas bases do projeto, de criar ambientes conectados ao paisagismo e à paisagem natural. Com isso, a conformação escolhida é a de dois blocos justapostos que organizam o programa social e íntimo orientados pelo sol e vista da mata, resultando em uma inflexão dos eixos dos volumes. No encontro dos volumes, no térreo, criou-se a “praça” da casa, o espaço dedicado ao ambiente de lazer externo onde há espaço de preparo de alimentos e de permanência, com mobiliário de estar apropriados para meio externo. Sem fechamentos laterais e apenas com a cobertura criada pelo volume superior, este local permite máxima integração com a área externa.

A estrutura que suporta o bloco superior dos dormitórios e permite o generoso balanço está embutida dentro do volume revestido em madeira no fundo do lote. Divisão entre os ambientes da garagem e do gourmet, comtempla em seu interior um pequeno depósito e uma área de lavar roupas. A piscina, por sua vez, conforma o quarto e último volume da casa, sendo revestida em pedra natural. Tem em sua lateral a área para banho de sol em condição de insolação favorável, além de estar posicionada em comunicação com o jardim e com a área de lazer externa.

Foram traçadas estratégias com o objetivo de ocorrer o menor impacto possível a partir da construção no local. Atentou-se também a aplicações de sistemas e produtos instalados visando à economia de recursos.

A fachada do bloco superior é microclimática, formada por painéis deslizantes com uma membrana têxtil perfurada (Serge Ferrari) tensionada por perfis de alumínio. Esse sistema faz a proteção luminosa e térmica dos dormitórios garantindo conforto constante e significativa redução do gasto energético com climatização.

Ficha

Local: Itu – SP

Tipo de Construção: Residencial

Área Terreno: 3.878,82m²

Área Construída: 835,78m²

Início do Projeto: 2020

Construtora: Prado Construções

Interiores: Dias Estúdio

Estrutura: Gama Z Engenharia

Paisagismo: Juliana Freitas

Luminotécnico: Natilux

Intalações Hidráulicas e Elétricas: AF Projetos

Climatização: Logiproject

Perspectivas: Sertão Arquitetos

Compartilhar nas Redes